sexta-feira, janeiro 20, 2006

Deus

Meu Deus é um sujeito muito estranho
Anda nas ruas sujas,
Nos becos e avenidas,
Ele, porém, não se macula.
A vista de uma civilização
Tão corrompida, não lhe desagrada,
Lhe conforta, pra dizer a verdade.

Anda em trajes tão rústicos,
Um errante no tempo,
Ele se mistura entre nós.
Seria Ele, um insano?
Um louco em carroças de abóboras
Carregadas por camundongos?
Se Ele é deus, quem somos nós?

Deus é onisciente,
Mas nada sabe.
É onipresente,
Mas nunca está.
É onividente,
Mas nada vê.
É um profeta de profecias
Que nunca se realizarão.
Ele sim é Deus.
E Deus, é humano.



(Termino assim, as publicações neste blog!)

3 Comments:

Blogger Enrique, said...

No se portugués pero sé que me entendés así com oyo te entendí, me encantó este poema, nada tan cierto...

Un saludo desde El Salvador.

8:41 PM  
Blogger acmml said...

Pena que achei seu blog tao tarde.... tenho seu livro e tenho um grande respeito pelo o que você escreve ^^

11:31 PM  
Blogger acmml said...

Pena que achei seu blog tao tarde.... tenho seu livro e tenho um grande respeito pelo o que você escreve ^^

11:32 PM  

Postar um comentário

<< Home